Este consultório tem como objectivo informar, ajudar e orientar os seus utilizadores na área da sexualidade e planeamento familiar.

Envie-nos a sua questão!

As questões são respondidas online. Todos os dados fornecidos, incluíndo nome e contacto são omitidos e não são divulgados. Os nomes usados são fictícios.
Pesquisar neste blog
 
Temas

aborto

adesivo

adesivo contraceptivo

agradecimento

álcool

amamentação

análises/exames

anatomia/fisiologia

anel

anel contraceptivo

candidíase

ciclo menstrual

citologia

citomegalovírus

coito interrompido

colagem de embalagens

consulta de planeamento familiar

consulta ginecológica

consultório planeamento familiar

contracepção oral de emergência

corrimento

diarreia

diu

diu cobre

dor

drogas

efeitos secundários

encaminhamento

espermatozóides

esquecimentos na toma

feliz ano novo

gravidez

gripe a

hemorragia

hemorragia de privação

herpes

hiv/sida

hpv

implante

implante contraceptivo

infecções

infecções sexualmente transmissíveis

informações gerais

injectável

interacção medicamentosa

laqueação de trompas

legislação

medicação

menopausa

menstruação

método do calendário

métodos contraceptivos

métodos definitivos

outros temas

período fértil

pílula

prática sexual

preliminares

preservativo

relação sexual

saúde

seropositivo

sexo anal

sexo oral

situação de diarreia

spotting

teste de gravidez

toxoplasmose

vacina

vasectomia

vómito

todas as tags

Quinta-feira, 28 de Maio de 2009
HPV - Vias de Transmissão

Boa tarde, tenho uma dúvida, existe alguma rotina em fazer uma pesquisa ao HPV, como se transmite e os cuidados que devo ter.

Obrigada e parabéns pelo Consultório.

Joana   

 

Cara Joana

Em primeiro lugar não há qualquer indicação para fazer a pesquisa do vírus do HPV por rotina, desde que a citologia esteja normal (como é o caso em questão) e não haja mais nenhuma sintomatologia não há indicação para tratamento.

O HPV é um vírus de transmissão sexual e como tal ao ser-se portadora pode-se transmitir o vírus aos parceiros sexuais, o que não significa que o parceiro sexual fique com a infecção, isto porque, as defesas de cada pessoa podem simplesmente eliminar o vírus. De qualquer forma existem outras doenças menos benévolas do que o HPV e será importante usar sempre o preservativo. No entanto, a fim de esclarecer todas as suas dúvidas aconselhamos que fale com o/a seu/sua médico/a.

Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique com alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.  
Cumprimentos  
A equipa 



publicado por APF às 14:27
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De lorranaferrari@yahoo.com.br a 4 de Junho de 2009 às 20:03
Olá, tenho uma dúvida, tenhu 20 anos e faço faculdade de Enfermagem, semanas atrás apareceu um "verruga" no meu clítores, fui ao médico e ele a retirou e cauterizou e disse uqe era portadora de HPV, a partr daí comecei muito a ler sobre o assunto... mas duvidas ainda ficaram, li que muitas pessoas podem se infectar com o vírus e o próprio organismo o erradicar...isso tem como mesmo? Teria alguma chance do meu sitema himune erradicar o vírus ou vou ter que conviver com ele pro resto da minha vida? Se tiver que conviver com ele pro resto da vida isso significa que frequentemente apareceram verrugas? Estou apavorada e precisando de ajudaa...muito o brigada!


De APF a 5 de Junho de 2009 às 16:07
Cara
A equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
Relativamente às suas dúvidas seria importante que as estivesse esclarecido com o médico para não ficar preocupada com a situação. O nosso metabolismo tem essa capacidade de erradicar o vírus, mas também não significa que o vírus permanece no organismo em estado de latência. Em relação ao novo aparecimento de verrugas somente o seu médico a poderá informar, pois depende da história clínica da mulher.
Se mantiver a ida às consultas de ginecologia de forma regular e seguir os conselhos e indicações do médico, não existe motivos para ficar preocupada.
Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A equipa


De Rita Tavares a 16 de Junho de 2009 às 09:34
Bom dia,

Foi-me diagnosticado o Virus do HPV II, fiz teste de Papanicolau, e uma biopsia e agora a médica diz que a melhor forma de tratamento é uma conização. Esta informação foi-me passada por telefone, só no final desta semana tenho consulta, mas estou um pouco ansiosa e tenho questões a colocar se me conseguissem para já elucidar eu agradecia.
Primeira questão o que é o Virus do HPV II é dos mais perigosos, no que consiste na realidade?
Tenho o mesmo parceiro sexual à 4 anos, à 2 anos atrás fiz a citologia e estava tudo bem, se agora foi-me diagnosticado o HPV qual é a probabilidade de infecção, ou seja como é normal fiquei um pouco desconfiada com sua a fidelidade, como pode o homem transmitir, só se tiver tido mais parceiras, correcto?
E por ultimo o que é uma conização, e se isso trás complicações para uma futura gravidez.
Agradeço a disponibilidade para a resposta das minhas questões.
Estou mesmo muito impaciente, tenho a cabeça a 1000 à hora.


De APF a 16 de Junho de 2009 às 16:20
Cara Rita
A equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
A sua questão sai do âmbito do aconselhamento via e-mail, isto porque é uma situação que deve ser acompanhada e partilhada com o/a seu/sua ginecologista e/ou com o/a seu/sua médico/a assistente.
No entanto, aconselhámo-la a ler a informação da página do Consultório de Planeamento Familiar sobre o Vírus do Papiloma Humano (http://linhaplaneamentofamiliar.blogs.sapo.pt/11231.html#cutid1), onde irá obter informações bastante úteis para as suas dúvidas.
Na consulta que tiver com a sua médica coloque todas as suas dúvidas e questões, isto porque cada caso é um caso e depende do historial clínico da mulher e respectiva idade.
Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A equipa


De Patrícia a 23 de Junho de 2009 às 18:48
Fiz o preventivo (coletado 01/06/2009) e apresentou o resultado: “esfregaço com alterações enquadráveis como lesão intraepitelial de baixo grau de Bethesda, 1988 (NIC-I de Richart, Displasia Leve), associada a alterações citopáticas sugestivas de infecção pelo ‘Papilomavirus’ (HPV), nesta amostra”.

Nem eu nem meu namorado apresentamos sintomas.

Fui a minha ginecologista e ela me deu um pedido para colposcopia com biópsia de colo uterino. Marquei para quarta-feira.

Fiquei tão nervosa que não consegui perguntar nada a ela… de tanta vontade de chorar…

Estou me sentindo "contaminada", sem vontade de fazer sexo e tenho ardência quando uso camisinha.

Agora mais calma estou com um monte de dúvidas e ansiosa…

Acabei de fazer um ultrassom intravaginal (sábado) e não foi observada nenhuma alteração. Neste exame seria possível ver alguma alteração?

Já faço sexo sem camisinha com meu namorado. Poderei voltar a fazer? Quando? Inclusive o sexo oral e o anal? Ou não poderemos fazer sexo com camisinha nunca mais, mesmo depois de um possível tratamento? Precisaria de ter vários outros exames preventivos (semestrais) negativos para deixar de usar a camisinha?

Fazemos sexo oral e anal. Tenho que fazer algum exame nestas áreas?

Meu namorado precisa fazer a peniscopia mesmo sem sintomas?

Existe algum cuidado extra com meu vibrador?

E quanto a masturbação (sozinho ou com meu namorado). Precisamos alterar alguma coisa?

Obrigada!


De APF a 24 de Junho de 2009 às 14:01
Cara Patrícia
A equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
A questão que nos coloca sai do âmbito do aconselhamento, isto porque é um problema ginecológico específico.
Relativamente aos exames que realizou se sente alguma dúvida fale com o/a seu/sua médico/a, isto porque para além de ter o seu historial clínico tens os resultados dos seus exames e pode explicar melhor toda a situação.
Apesar de não ser uma situação comum, existem pessoas que fazem alergia ao látex e/ou ao lubrificante dos preservativos. Quando se experimenta várias marcas (com e sem lubrificante) e as reacções alérgicas se mantêm, o melhor será adquirir preservativos de poliuretano. Aconselhe-se com um/a profissional de saúde.
A fim de obter mais informações sobre o preservativo poderá ler na página do Consultório de Planeamento Familiar algumas informações úteis sobre o preservativo (http://linhaplaneamentofamiliar.blogs.sapo.pt/tag/preservativo)
Se tem relações sexuais e não pretende engravidar será importante utilizar um método contraceptivo eficaz. Deverá ter em atenção que em qualquer prática sexual (vaginal, anal e oral) é possível a transmissão de infecções.
Aconselhamos que faça uma consulta de revisão com o/a seu/a ginecologista, para avaliar o seu estado de saúde global e a nível ginecológico e também para saber se nesta fase pode ou não ter relações sexuais.
Se o/a médico/a aconselhou o seu namorado a fazer o exame, é fundamental que o faça.
Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A equipa


De cintia leticia de moraes a 1 de Setembro de 2009 às 15:18
Gostaria de saber informções a respeito do corrimento na cor marron de vem saindo de vagina, pois estou muito preocupada ja faz uma semana. E tenho ginecologista somente na seta-feira.

Grata


De APF a 1 de Setembro de 2009 às 18:52
Cara Cintia
A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
Relativamente à hemorragia que está a ter poderá ser imensas situações, como por exemplo um descontrolo ao nível hormonal, uma infecção, mas somente sendo observada é que poderá ser diagnosticado o que na realidade se está a passar consigo.
A consulta médica é já na sexta-feira, por isso coloque todas as dúvidas e/ou questões ao/à seu/sua ginecologista.
Esperamos ter ajudado no esclarecimento da sua questão, se outras existirem poderá voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A equipa


De cintia leticia de moraes a 1 de Setembro de 2009 às 15:20
Gostaria de saber informções a respeito do corrimento na cor marron que vem saindo da minha vagina, pois estou muito preocupada ja faz uma semana. E tenho ginecologista somente na sexta-feira.

Grata


De APF a 1 de Setembro de 2009 às 18:53
Cara Cintia
A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
Relativamente à hemorragia que está a ter poderá ser imensas situações, como por exemplo um descontrolo ao nível hormonal, uma infecção, mas somente sendo observada é que poderá ser diagnosticado o que na realidade se está a passar consigo.
A consulta médica é já na sexta-feira, por isso coloque todas as dúvidas e/ou questões ao/à seu/sua ginecologista.
Esperamos ter ajudado no esclarecimento da sua questão, se outras existirem poderá voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A equipa


De Thâmara a 10 de Setembro de 2009 às 16:56
Olá, recebi ontem o diagnóstico de Hpv. Na ocasião fiz varias perguntas a ginecologista, mas nao consigo parar de pensar nisso e outras muitas dúvidas não param de surgir.

Eu tenho algumas verrugas na vagina. Mas sei que podem aparecer também no ânus e em outras partes do corpo, como a boca.

Eu posso tambem vir a desenvolver verrugas na boca, por exemplo? Ou sao tipos de vírus diferentes?quero dizer, pode ser que o virus esteja latente em outras partes do meu corpo?

Fico pensando se beijando uma pessoa posso vir a contaminá-la.... ?????????

A médica disse ao meu namorado que ele nao deve fazer sexo oral em mim, pois pode pegar o virus na boca.... então o vírus de uma parte do corpo pode infectar outra parte?

Porque nas matérias que eu li, faziam parecer que o vírus da boca, da mão, era de um tipo, e tinha uma forma de transmissão. E que o vírus genital era outra forma de contagio, na relação sexual.

Eu só tive relação sexual com o meu namorado, foi meu único parceiro. Entretanto, por um época nos separamos e uma outra pessoa com quem me relacionei fez sexo oral em mim. Foi o maximo de contato que tivemos.

É possível que a minha vagina tenha "pego" o vírus da boca dele?

No caso, ele tem o vírus latente na boca? Ou o do pênis tem alguma ligação?

Me desculpem, mal consigo formular minhas dúvidas, minha cabeça nao pára. Estou desesperada. Me sinto suja. Sinto que vou contaminar todas as pessoas ao meu redor. Não consigo me imaginar voltando a transar com meu namorado.

Cheguei em casa desesperada procurando algum tipo de central de dúvidas. Muito obrigada por estarem a disposição.


De Thâmara a 10 de Setembro de 2009 às 17:08
Voltei porque acabou de me ocorrer mais uma duvida... a mão da pessoa também pode ter contagiado minha vagina????

A mão/boca precisa estar com a lesão aparente? Ou pode estar latente?

Assim me parece que sao extremamente grandes as chances de contagio...as pessoas podem se contaminar uma a outra com MUITA facilidade....eh isso mesmo?

Nem sei como agradecer....


De APF a 10 de Setembro de 2009 às 22:00
Cara Thâmara
A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece novamente o seu contacto.
Conforme referimos anteriormente, a principal via de transmissão é através do contacto sexual (sexo vaginal, oral ou anal). Mas, também, pode ser transmitido por via fetal durante o parto. Sendo a sua principal forma de transmissão a via sexual, deve-se tomar algumas precauções. É importante a utilização do preservativo, embora a sua utilização não garanta uma total eficácia na protecção contra a infecção por HPV.
Mas existem inúmeros tipos e sub-tipos de vírus, daí ser importante falar com a sua médica e perguntar os cuidados que deve ter.
Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A Equipa


De APF a 10 de Setembro de 2009 às 22:00
Cara Thâmara
A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
Todas estas dúvidas e/ou questões devem ser colocadas à sua médica que a está a acompanhar ao nível ginecológico, pois cada caso é um caso e existem vários tipos de vírus.
No entanto deixamos algumas informações sobre o vírus do papiloma humano (HPV).
Este vírus inclui cerca de uma centena de variantes e a sua infecção incide-se sobre a pele e as mucosas.
Os vários tipos de cancro que estão associados com o HPV incluem, para além do cancro do colo do útero, o cancro do ânus, da vulva, do pénis, da cabeça e do pescoço.
O HPV pode ser dividido em duas categorias: os tipos de HPV que infectam a pele e os tipos de HPV que infectam a área genital e anal.
Nos tipos de HPV que infectam a pele, incluem-se subtipos como o HPV1 e o HPV2 que podem aparecer, nas mãos, nos pés e na face, usualmente conhecidos como verrugas ou cravos. A infecção por este tipo de vírus pode ocorrer através do contacto ocasional com as zonas infectadas, podendo alastrar-se para outras zonas do corpo.
Nos tipos de HPV que infectam a área genital e anal, são mais de 30 as variantes existentes. Alguns estudos referem que os tipos 6 e 11 possuem uma acção directa no desenvolvimento de condilomas/verrugas genitais na vulva, pénis e ânus. Contudo, estes tipos de vírus não representam grande risco de progressão para malignidade.
Mas, existem alguns tipos de vírus e em especial os que afectam a área genital, que podem causar alterações que vão desde lesões benignas a cancro. Trata-se de estirpes de HPV consideradas de alto risco (tipo 16, 18) por estarem relacionadas com o desenvolvimento de lesões malignas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece estes dois tipos como agentes cancerígenos para os seres humanos.
A sua via de transmissão é através do contacto sexual (sexo vaginal, oral ou anal). Mas, também, pode ser transmitido por via fetal durante o parto. Sendo a sua principal forma de transmissão a via sexual, deve-se tomar algumas precauções. É importante a utilização do preservativo, embora a sua utilização não garanta uma total eficácia na protecção contra a infecção por HPV.
Não se tem conhecimento exacto sobre o período de incubação (desde a infecção até ao desenvolvimento da doença), mas alguns estudos indicam que, em condições propícias para o seu desenvolvimento, este poderá ser entre 3 semanas a 8 meses. Na maioria dos casos, o desenvolvimento está relacionado com o sistema imunológico de cada pessoa e a quantidade de vírus no local da infecção.
Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A Equipa



De Felipe a 17 de Março de 2010 às 20:00
boa tarde..
eu descobri a pouco tempo que tenho HPV.
o hpv pode ser transmitido através do esperma na toalha? caso alguem use minha toalha ou meu sabonete uma vez perdida?

tenho medo de passar isso pros meus familiares... =(


De APF a 19 de Março de 2010 às 10:16
Caro Felipe
A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
O HPV (Human Papilomavirus) é o nome de um vírus que inclui cerca de uma centena de variantes e a sua infecção incide-se sobre a pele e as mucosas. Este vírus pode ser dividido em duas categorias: os tipos de HPV que infectam a pele e os tipos de HPV que infectam a área genital e anal.
Nos tipos de HPV que infectam a pele, incluem-se subtipos como o HPV1 e o HPV2 que podem aparecer, nas mãos, nos pés e na face, usualmente conhecidos como verrugas ou cravos. A infecção por este tipo de vírus pode ocorrer através do contacto ocasional com as zonas infectadas, podendo alastrar-se para outras zonas do corpo.
Nos tipos de HPV que infectam a área genital e anal, são mais de 30 as variantes existentes. Alguns estudos referem que os tipos 6 e 11 possuem uma acção directa no desenvolvimento de condilomas/verrugas genitais na vulva, pénis e ânus. Contudo, estes tipos de vírus não representam grande risco de progressão para malignidade.
Mas, existem alguns tipos de vírus e em especial os que afectam a área genital, que podem causar alterações que vão desde lesões benignas a cancro. Trata-se de estirpes de HPV consideradas de alto risco (tipo 16, 18) por estarem relacionadas com o desenvolvimento de lesões malignas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece estes dois tipos como agentes cancerígenos para os seres humanos.
A sua via de transmissão é através do contacto sexual (sexo vaginal, oral ou anal). Mas, também, pode ser transmitido por via fetal durante o parto. Sendo a sua principal forma de transmissão a via sexual, deve-se tomar algumas precauções. É importante a utilização do preservativo, embora a sua utilização não garanta uma total eficácia na protecção contra a infecção por HPV.
Não se tem conhecimento exacto sobre o período de incubação (desde a infecção até ao desenvolvimento da doença), mas alguns estudos indicam que, em condições propícias para o seu desenvolvimento, este poderá ser entre 3 semanas a 8 meses. Na maioria dos casos, o desenvolvimento está relacionado com o sistema imunológico de cada pessoa e a quantidade de vírus no local da infecção.
O tratamento das infecções provocadas por este vírus depende de diversos factores, incluindo a idade e o tipo de lesão. Todavia, existem várias formas de tratamento, que vão desde a utilização de produtos químicos, a tratamentos pelo frio, laser ou cirurgia, que têm como finalidade destruir o tecido infectado.
Neste sentido, aconselhamo-lo a consultar o/a seu/sua médico/a assistente, a fim de realizar uma avaliação com mais precisão, como também obter mais informações acerca do tratamento e cuidados de higiene.
Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda com alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A Equipa


De HADASA a 7 de Maio de 2010 às 02:11
POSSUO UMA DÚVIDA?SE UM HOMEM TEVE HPV E SEU ORGANISMO
JÁ O ELIMINOU ELE PODE TRANSMITIR? E SE A COMPANHEIRA DÊLE NÃO SE CUROU AINDA.ELA PODE CONTAMINÁ-LO NOVAMENTE?


De Tânia a 16 de Junho de 2010 às 23:45
Olá boa noite.
Eu tenho 23 anos e descobri há 10 meses que sou portadora do HPV, apesar de estar bastante esclarecida sobre todas as causas/consequências deste vírus, há uma dúvida que ainda não consegui esclarecer. Estando o vírus 'adormecido' e no caso de se ter relações sexuais sem preservativo o risco de contágio do parceiro é o mesmo?! Ou há possibilidade de nem sequer ser transmitido o vírus?
Agradecia que me esclarecessem esta questão.

Obrigado.


De Marisa a 2 de Agosto de 2010 às 17:22
Boa tarde,

Foi-me descoberto uma lesão no colo utero por via do exame coloscopia, foi feito uma biopsia e acusou que era pré cancerisna. Fizeram-me uma conização, já fui a revisão da mesma e o medico diz q esta cicatrizada, mas ag só em Dez é q vou fazer mais exames para ver se saio tudo.
Tenho mt medo, pois a minha mãe morreu cancro do utero a 30 anos. Eu por esse motivo faço todos os anos sem excpções o exame papanicolau. E o de Nov 2009 deu mau.
Mas continuo cheio de duvidas, perguntei ao medico, mas ele é muito evasivo.
O HPV só se apanha 1 vez? Vou voltar a ter?
Visto a minha lesão ser por HPV o meu marido tb não estara infectado? Não terá q fazer tratamento?
Agradecia que me podem explicar estas duvidas, pois estou a dar em ''maluca'' com estas duvidas q o medico responde sempre em forma de piadas q eu não acho piada e não percebo nada.

Atentamente,

Marisa


Comentar post

Dra. Fátima Palma
Ginecologista e Obstetra, Maternidade Dr. Alfredo da Costa

Posts recentes

Esquecimento na toma da P...

Relacionamento Sexual

Interacção Medicamentosa

Métodos Contraceptivos

Métodos Contraceptivos

Métodos Contraceptivos

Anatomia/Fisiologia

Interacção medicamentosa

Interrupção da toma da pí...

Pílula contraceptiva e he...

Arquivos

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

blogs SAPO
Subscrever feeds