Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Planeamento Familiar

Este consultório tem como objectivo informar, ajudar e orientar os seus utilizadores na área da sexualidade e planeamento familiar.

Consultório de Planeamento Familiar

Este consultório tem como objectivo informar, ajudar e orientar os seus utilizadores na área da sexualidade e planeamento familiar.

Implante e Adesivo Contraceptivo

26.07.09, APF

Olá novamente, muito obrigado por terem esclarecido todas as minhas dúvidas.

Estou de facto muito mais informada e tranquila.

Mas já agora sobre a oportunidade de me informar e esclarecer sobre um pouco de tudo que vem da minha natureza curiosa, gostaria de perguntar sobre um método contraceptivo de que tive conhecimento há pouco tempo que consiste num pequeno tubo que se insere na pele e liberta lentamente uma hormona, chama-se implante contraceptivo. Gostaria de saber se esse método contraceptivo poderá adequar-se a mim e quais os seus contras. Existe um outro contraceptivo que chamou à minha atenção por ser bastante semelhante à pílula e que previne os esquecimentos que a esta por vezes traz, tem o nome de adesivo contraceptivo. Agradecida pela vossa ajuda.  
Sandra


Cara Sandra

A equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece novamente o seu contacto.

Em relação à informação solicitada, segue uma breve descrição de cada método contraceptivo. Para outras questões e/ou opção de utilização deve realizar uma consulta de planeamento familiar e aconselhar-se com o/a seu/sua médico/a assistente.

Implante Contraceptivo

O implante é um método contraceptivo hormonal, reversível, de longa duração com efeito contraceptivo de três anos. É constituído por um bastonete fino, de plástico, que é inserido sob a pele (através de aplicação de anestesia local), no lado interno da parte superior do seu braço. A sua protecção está garantida desde o primeiro dia de utilização, e durante os três anos seguintes. Actua através da libertação lenta e continuamente de uma hormona (progestagénio) na corrente sanguínea, que evita a libertação mensal do óvulo dos ovários, ou seja, impede a ovulação. Não existindo óvulo consequentemente não pode existir uma gravidez. Além de impedir a libertação do óvulo, também altera a consistência do muco, tornando mais difícil a passagem dos espermatozóides.

O implante aplica-se a todas as mulheres, desde que sob indicações médicas. A colocação e remoção do implante deve ser realizado apenas por profissionais de saúde familiarizados com estes procedimentos. Por este motivo, caso se venha a interessar por este método, deve marcar uma consulta de ginecologia, ou por exemplo, com o/a seu/sua médico/a de família, para que seja aconselhada sobre este e/ou outros métodos contraceptivos que existem no mercado nacional.

Vantagens deste método: a mulher não tem que pensar todos os dias em contracepção; pode ser utilizado por todas as mulheres que não podem ou não querem tomar estrogénios; ao contrário da pílula, a hormona presente no implante, não necessita de ser absorvida pelo aparelho digestivo, permitindo que a eficácia deste método não seja posta em causa, em caso de vómitos ou diarreia; é um método reversível.

Desvantagens deste método: existem situações nas quais é desaconselhado a aplicação do implante contraceptivo. Qualquer dúvida deve ser esclarecida por um médico; não protege das Infecções Sexualmente Transmissíveis.  
 

CONTRACEPÇÃO TRANSDÉRMICA - Adesivo Contraceptivo 

É um adesivo fino, bege, quadrado, confortável e fácil de aplicar. Pode ser aplicado na parte de fora do braço, nas costas, no abdómen, ou na nádega. A pele deve estar limpa e seca. Não deve ser aplicado sobre o peito e em pele vermelha, irritada ou com golpes. É colocado uma vez por semana, durante três semanas consecutivas.

O adesivo transfere uma dose diária de hormonas - estrogénio e progestagénio, através da pele para a corrente sanguínea. Estas hormonas são similares às hormonas produzidas pelos ovários e utilizadas, também, nas pílulas contraceptivas orais. Actua de duas formas: impede a ovulação (libertação do óvulo); e torna mais espesso o muco do colo do útero, tornando a entrada dos espermatozóides no útero, mais difícil.

Vantagens deste método: a mulher não tem que pensar todos os dias em contracepção, apenas tem que se lembrar de mudar uma vez por semana o adesivo; ao contrário da pílula, as hormonas não necessitam de ser absorvidas pelo aparelho digestivo, permitindo que a eficácia deste método não seja posta em causa, em caso de vómitos ou diarreia; usualmente torna as hemorragias regulares, mais curtas e menos dolorosas; é um método reversível.

Desvantagens deste método: existem situações nas quais é desaconselhado a utilização do adesivo. Os seus efeitos secundários são similares aos observados com a toma da pílula combinada. Assim, as mulheres que têm contra-indicações para o uso da pílula, não podem utilizar este método contraceptivo; não protege das Infecções Sexualmente Transmissíveis.

 

Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.

Cumprimentos

A equipa 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    APF

    09.10.09

    Cara Helis
    A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece novamente o seu contacto e a sua preferência.
    Sempre que necessite não hesite em voltar a contactar-nos.
    Cumprimentos
    A Equipa







  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.