Este consultório tem como objectivo informar, ajudar e orientar os seus utilizadores na área da sexualidade e planeamento familiar.

Envie-nos a sua questão!

As questões são respondidas online. Todos os dados fornecidos, incluíndo nome e contacto são omitidos e não são divulgados. Os nomes usados são fictícios.
Pesquisar neste blog
 
Temas

aborto

adesivo

adesivo contraceptivo

agradecimento

álcool

amamentação

análises/exames

anatomia/fisiologia

anel

anel contraceptivo

candidíase

ciclo menstrual

citologia

citomegalovírus

coito interrompido

colagem de embalagens

consulta de planeamento familiar

consulta ginecológica

consultório planeamento familiar

contracepção oral de emergência

corrimento

diarreia

diu

diu cobre

dor

drogas

efeitos secundários

encaminhamento

espermatozóides

esquecimentos na toma

feliz ano novo

gravidez

gripe a

hemorragia

hemorragia de privação

herpes

hiv/sida

hpv

implante

implante contraceptivo

infecções

infecções sexualmente transmissíveis

informações gerais

injectável

interacção medicamentosa

laqueação de trompas

legislação

medicação

menopausa

menstruação

método do calendário

métodos contraceptivos

métodos definitivos

outros temas

período fértil

pílula

prática sexual

preliminares

preservativo

relação sexual

saúde

seropositivo

sexo anal

sexo oral

situação de diarreia

spotting

teste de gravidez

toxoplasmose

vacina

vasectomia

vómito

todas as tags

Sábado, 13 de Março de 2010
Hemorragia de privação vs Menstruação

Boa tarde. Gostaria de saber qual a explicação cientifica para o facto de quando há fecundação,e estando por isso a mulher grávida,não ocorrer a menstruação.Igualmente o porquê de se dizer que a Hemorragia de Privação de 7 dias, aquando da toma da pílula, não ser considerada Menstruação e ser diferente.
A razão das minhas dúvidas é que constantemente ouço falar de casos reais de mulheres  que se encontram grávidas, apesar destas terem a Menstruação ou a Hemorragia de Privação regulares. Como se explica cientificamente isso?
Muito obrigada pela disponibilidade

 

Cara M.
A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
A pílula é um método contraceptivo bastante eficaz, desde que seja tomada de forma regular e correcta, isto é, deve ser tomada todos os dias à mesma hora (não ultrapassar a margem de 12h da hora habitual), ter cuidado com a toma de medicamentos que possam diminuir a sua eficácia contraceptiva e vice-versa; também com as situações de vómitos e/ou diarreia nas 4 horas a seguir à toma habitual da pílula. Este medicamento age impedindo que ocorra uma ovulação, ou seja, a libertação mensal do óvulo; e deste modo deixa de existir a possibilidade de ocorrer uma gravidez. Quando se toma a pílula não existe um período fértil porque não há ovulação, nem uma verdadeira menstruação mas sim uma hemorragia de privação (no período de pausa). É raro acontecer a mulher ter hemorragia de privação, se estiver grávida! Para que tal aconteça, pode estar a decorrer um processo de aborto espontâneo ou um descontrolo ao nível hormonal. Mas se a mulher toma correctamente a pílula, não engravida!  
Relativamente à menstruação, esta é uma perda de sangue cíclica que resulta da descamação do endométrio (parede que reveste o útero) com uma duração que pode variar entre 2 a 7 dias. Após o aparecimento da primeira menstruação (menarca) é comuns os ciclos menstruais serem pouco regulares podendo mesmo existir longos períodos sem que ocorra qualquer hemorragia. Existem factores que podem influenciar a duração dos ciclos menstruais, bem como a quantidade de sangue libertado em cada mês, como por exemplo, o stresse e as preocupações, as mudanças de clima e os hábitos alimentares. Por isso, a quantidade de fluxo pode ser diferente de mês para mês.
É a isto que, vulgarmente, se chama, “estar com o período”, ou estar menstruada.
A concepção é a união do espermatozóide com o óvulo (células reprodutivas), que vai dar origem a uma gravidez.
Quando um homem e uma mulher têm relações sexuais, o homem ejacula através do pénis de 3 a 4 centímetros cúbicos de esperma, que contém cerca de 300 a 400 milhões de espermatozóides. Se eles entrarem na vagina e se a mulher estiver no seu período fértil, podem encontrar numa das trompas de Falópio, o óvulo, que foi libertado de um dos ovários.
A maior parte dos espermatozóides “morre” na corrida ao óvulo. Quando se dá o encontro entre as células masculinas e a célula feminina, apenas um espermatozóide consegue penetrar no núcleo; a partir desta altura a membrana do óvulo torna-se impermeável.
O primeiro sinal de gravidez, normalmente, é a ausência da menstruação. Deve fazer-se um teste de gravidez para confirmar a gravidez.
Se pretende obter informações científicas acerca desta temática, aconselhamo-la a fazer uma pesquisa ao nível das bibliotecas e sites da internet direccionados para esta temática.
Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda com alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
Cumprimentos
A Equipa
 



publicado por APF às 12:28
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Dra. Fátima Palma
Ginecologista e Obstetra, Maternidade Dr. Alfredo da Costa

Posts recentes

Esquecimento na toma da P...

Relacionamento Sexual

Interacção Medicamentosa

Métodos Contraceptivos

Métodos Contraceptivos

Métodos Contraceptivos

Anatomia/Fisiologia

Interacção medicamentosa

Interrupção da toma da pí...

Pílula contraceptiva e he...

Arquivos

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

blogs SAPO
Subscrever feeds