Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Planeamento Familiar

Este consultório tem como objectivo informar, ajudar e orientar os seus utilizadores na área da sexualidade e planeamento familiar.

Consultório de Planeamento Familiar

Este consultório tem como objectivo informar, ajudar e orientar os seus utilizadores na área da sexualidade e planeamento familiar.

IMPLANTE CONTRACEPTIVO

05.10.09, APF

 IMPLANTE CONTRACEPTIVO


O que é o Implante Contraceptivo?
É um pequeno bastonete flexível, com quatro centímetros de comprimento e dois milímetros de diâmetro.
É aplicado por baixo da pele, no lado interno da parte superior do braço, sob anestesia local.
 

A sua aplicação e remoção deve ser sempre realizada por um(a) médico(a), ou por um(a) enfermeiro(a).
É eficaz durante três anos, ao fim dos quais pode ser substituído por um novo, se a mulher assim o desejar.
Como actua?
O implante vai libertando lentamente uma pequena quantidade de hormona – progestagénio - para a corrente sanguínea.
Actua de duas formas:
• Impede a ovulação (libertação do óvulo);
• Torna mais espesso o muco cervical, dificultando a entrada dos espermatozóides no útero.
 Quando colocar o Implante?
O implante deve ser colocado até ao 5º dia da menstruação, ficando a mulher desde logo protegida de uma gravidez não desejada;
Se o implante for colocado noutro dia do ciclo é necessário utilizar o preservativo durante os 7 dias a seguir à colocação, para que não haja risco de gravidez;
O implante pode ser colocado após o parto.
Quando é que a mulher não deve optar pelo implante?
• Quando suspeita estar grávida;
• Se não deseja que a sua menstruação sofra alterações;
• Situações de doença que devem ser ponderadas numa consulta de especialidade, tais como: ataque cardíaco ou trombose, cancro da mama ou cancro do aparelho reprodutor, doenças do fígado.
Vantagens
• A mulher não tem que pensar todos os dias em contracepção;
• Pode ser utilizado por todas as mulheres que não podem ou não querem tomar estrogénios;
• Ao contrário da pílula, a hormona presente no implante, não necessita de ser absorvida pelo aparelho digestivo, permitindo que a eficácia deste método não seja posta em causa, em caso de vómitos ou diarreia;
• A mulher pode amamentar se estiver a usar o implante
• É um método reversível.
Desvantagens
• Como o implante não contém estrogénios, as perdas sanguíneas são irregulares, podem deixar de existir ou tornarem-se escassas mas muito frequentes. Embora seja um efeito normal deste método, que não é prejudicial para a saúde nem para a fertilidade da mulher, é importante ser informada sobre esta alteração, antes da colocação do implante;
• Tal como em outros métodos hormonais, algumas mulheres podem desenvolver quistos nos ovários. Estes quistos são benignos e geralmente desaparecem sem necessitar de tratamento;
• Não protege das Infecções Sexualmente Transmissíveis.
Importante saber:
Alguns medicamentos podem diminuir a eficácia dos contraceptivos hormonais, como por exemplo, os utilizados para o tratamento da epilepsia e da tuberculose e alguns medicamentos utilizados pelas medicinas alternativas.
Sempre que lhe são prescritos medicamentos deve avisar o/a seu/sua médico/a de que está a utilizar um implante contraceptivo.
 

 

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    APF

    09.11.09

    Boa noite
    A Equipa do Consultório de Planeamento Familiar agradece o seu contacto.
    O implante é um método contraceptivo hormonal, reversível, de longa duração com efeito contraceptivo de três anos. É constituído por um bastonete fino, de plástico, que é inserido sob a pele (através de aplicação de anestesia local), no lado interno da parte superior do seu braço. A sua eficácia contraceptiva está garantida desde o primeiro dia de utilização, e durante os três anos seguintes. Actua através da libertação lenta e continuamente de uma hormona (progestagénio) na corrente sanguínea, que evita a libertação mensal do óvulo dos ovários, ou seja, impede a ovulação. Não existindo óvulo consequentemente não pode existir uma gravidez. Além de impedir a libertação do óvulo, também altera a consistência do muco, tornando mais difícil a passagem dos espermatozóides.
    A mulher não deverá utilizar este método contraceptivo se:
    -se tem alergia (hipersensibilidade) ao etonogestrel ou a qualquer outro componente do implante.
    -se tem uma trombose. A trombose é a formação de um coágulo de sangue num vaso sanguíneo por exemplo, nas pernas (trombose venosa profunda) ou nos pulmões (embolismo pulmonar).
    -se tem ou teve no passado icterícia (pele amarelada) ou doença do fígado grave (quando o fígado não está a funcionar correctamente).
    -se tem (teve) ou se pode ter cancro da mama ou dos órgãos genitais.
    -se tem alguma hemorragia vaginal inexplicável.
    O implante aplica-se a todas as mulheres, desde que sob indicações médicas. Por este motivo, a sua namorada deve marcar uma consulta de ginecologia, ou com o/a médico/a de família, para que seja aconselhada sobre este e/ou outros métodos contraceptivos que existem no mercado nacional, adequados à sua condição de saúde.
    Esperamos ter esclarecido a sua questão, caso necessite ou fique ainda com alguma dúvida não hesite em voltar a contactar-nos.
    Cumprimentos
    A Equipa
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.